Vivendo a Adolescência

Violência Contra a Mulher

Violência Contra a Mulher

"Vivemos num mundo onde temos que nos esconder para fazer amor, enquanto a violência é praticada à luz do dia."(John Lennon)

 

Você já sofreu algum tipo de violência?

Sabia que muitas pessoas são vítimas de violências e nem sequer percebem, ou identificam que estão sofrendo uma agressão, ameaça ou ofensa? Convidamos você a fazer o TESTE abaixo e refletir sobre este assunto.

Utilizando um papel anote as respostas, "SIM" ou "NÃO" para cada pergunta abaixo,  refletindo se já passou por alguma das situações descritas.

  • Você já foi agredida fisicamente por algum parente, namorado(a), ficante, marido (esposa) ou pessoa desconhecida?
  • Você já foi xingada e humilhada por seu pai, parentes, colegas, companheiro (a) ou autoridade e isso a tornou incapaz de realizar alguma coisa?
  • Seu(sua) namorado(a), ficante ou marido (mulher) já a proibiu de usar alguma roupa?
  • Seu(sua) namorado(a), ficante ou marido (mulher) já escondeu ou queimou seus documentos, roupas, ou algum pertence seu?
  • Algum(a) chefe ou colega de trabalho já te assediou, dando em cima de você ou pedindo que você fizesse alguma coisa para agradá-lo (la)?
  • Alguma vez você foi se consultar e o médico ou enfermeiro tirou suas roupas, ou tocou o seu corpo sem necessidade?
  • Alguém já passou a mão em você, sem sua permissão?
  • Alguma vez alguém disse que você não era capaz, ou não poderia fazer algo, por ser mulher?
  • Algum homem ou mulher já forçou você a ter uma relação sexual?
  • Você já se viu obrigada a ter relação sexual mesmo quando não estava com vontade por algum homem ou mulher?
  • Você já foi ameaçada de apanhar, ou de morte por algum homem?
  • Você já foi obrigada a ficar em algum lugar, sem poder sair?

 

Resultado do teste

Se você respondeu NÃO, em todas as alternativas, leia:

Fique muito feliz por você não ter sofrido nenhum tipo de violência até o momento, pois a maioria das mulheres já sofreu algum tipo de violência durante sua vida, seja no âmbito doméstico ou social. Apesar dos direitos já conquistados, as mulheres ainda lutam pela igualdade de direitos, para ser respeitada e não ser violentada.

Fique atenta, você pode não ter sofrido nenhuma violência, mas certamente conhece alguma mulher que já sofreu ou sofre com isso. Não deixe que uma situação de violência passe despercebida, faça parte da rede de proteção às mulheres e denuncie!

Ligue 180 de qualquer lugar do Brasil.

Procure uma Delegacia de Defesa da Mulher, ou qualquer outra delegacia.

Procure um Centro de Referência da Mulher ou o Conselho de Defesa da Mulher.

 

Se você respondeu SIM, em uma ou mais alternativas, leia:

você que já sofreu algum tipo de violência, sabe o quanto é ruim ser humilhada, constrangida, agredida e abusada, às vezes carrega-se a marca (física ou psicológica) de uma violência para a vida toda. Infelizmente, a maioria das mulheres já sofreu ou sofre algum tipo de violência, seja no ambiente doméstico ou social. Saiba que você não deve se calar frente a qualquer violência que sofrer ou ver alguma mulher sofrendo. Não deixe que uma situação de violência passe despercebida, faça parte da rede de proteção às mulheres e denuncie!

Ligue 180 de qualquer lugar do Brasil

Procure uma Delegacia de Defesa da Mulher, ou qualquer outra delegacia

Procure um Centro de Referência da Mulher ou o Conselho de Defesa da Mulher

“Existe apenas uma verdade universal, aplicável a todos os países, culturas e comunidades: a violência contra as mulheres nunca é aceitável, nunca é perdoável, nunca é tolerável.” (Secretário Geral da ONU- Ban Ki Moon)

 

Vamos falar agora sobre a violência contra a mulher, um assunto que merece muita atenção!

A situação da violência contra a mulher é um problema mundial, estima-se que cerca de 70% das mulheres já sofreram algum tipo de violência durante sua vida. Infelizmente, o brasil está em sétimo lugar como um dos países com mais mortes de mulheres vítimas de violência, segundo o mapa da violência do Instituto Sangari, 2012.

Através de diversas lutas para o fim desta violência, a história da Maria da Penha, uma mulher que sofreu violências de seu marido a ponto dele tentar matá-la duas vezes, na primeira vez com tiros simulando um assalto e na segunda tentando eletrocutá-la, o que a deixou paraplégica, chegou até a comissão interamericana dos direitos humanos, sendo considerado pela primeira vez na história um crime de violência doméstica.

Graças a essas lutas, hoje existe uma lei no Brasil chamada Lei Maria da Penha nº 11.340, criada em agosto de 2006, que assegura os direitos das mulheres vítimas de violências. É uma lei muito importante por que foi construída por pesquisadores(as) que estudam as questões da mulher e militantes feministas, definindo as tipos de violência, determinando a criação de juizados especiais criminais, aumentando a pena para os agressores e determinando medidas de proteção como a saída do agressor do domicílio e a proibição de sua aproximação da mulher agredida e filhos(as). Essa lei foi um avanço para os direitos da mulher, porém ainda é mal interpretada por delegados(as), juízes(as) e advogados(as), dificultando a sua efetivação.

Denuncie a violência contra a mulher, disque 180


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2013.

Desenvolvido pela S3Web