Vivendo a Adolescência

Mitos e verdades

MITOS E VERDADES SOBRE MÉTODOS ANTICONCEPCIONAIS COM INFORMAÇÃO BASEADA EM EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS

MITO: Alguns métodos anticoncepcionais provocam aborto. 

VERDADE: Os métodos anticoncepcionais não interrompem uma gravidez já estabelecida e, portanto, não provocam um aborto. A pílula, os injetáveis, os implantes e o DIU previnem a gravidez, principalmente, ao impedir a ovulação e também ao espessar o muco cervical para impedir a passagem dos espermatozoides.

 

MITO: As adolescentes não podem usar o DIU nem a injeção trimestral.

VERDADE: As adolescentes podem usar qualquer método anticoncepcional. Segundo os critérios médicos de elegibilidade da Organização Mundial da Saúde, não existe nenhum método que pela idade seja critério 3 ou 4, ou seja, que não possa ser utilizado por adolescentes.

 

MITO: As adolescentes não deveriam usar métodos anticoncepcionais antes dos 16 anos.

VERDADE: As adolescentes podem iniciar o uso de qualquer método anticoncepcional sem risco para sua saúde se elas já começaram a menstruar e se já iniciaram a sua vida sexual.

 

MITO: Os anticoncepcionais hormonais provocam um grande aumento de peso e o corpo fica desfigurado.  

VERDADE: Os métodos hormonais podem causar leves alterações de peso, seja aumento ou diminuição. As injeções trimestrais provocam mudanças mais perceptíveis, as usuárias aumentam, em média, de 1 a 2 kg por ano. Nenhum método ocasiona desfiguração do corpo.

 

MITO: Não pode haver gravidez se não há penetração.

VERDADE: Embora seja pouco frequente, é possível ficar grávida mesmo sem ter tido penetração.  E com certeza é possível se infectar com alguma IST através do contato genital, mesmo que não haja penetração do pênis na vagina ou no ânus.

 

MITO: Os métodos anticoncepcionais são prejudiciais para a saúde.

VERDADE: Para a maioria das mulheres, os benefícios obtidos para a saúde ao usar qualquer método anticoncepcional sob orientação médica são muito maiores do que qualquer risco que possa ocorrer com seu uso. Alguns métodos podem causar alguns efeitos colaterais como enjoo, dor de cabeça, alterações do sangramento menstrual, mas isto ocorre em baixa frequência e as mulheres que apresentem algum efeito não tolerável podem trocar de método.

 

MITO: Uma mulher precisa ter um “descanso” no uso das pílulas anticoncepcionais depois de tomá-las por muito tempo.

VERDADE: Não há evidências científicas de que o “descanso” tenha efeito benéfico. Esta prática pode levar a uma gravidez não planejada. As pílulas anticoncepcionais podem ser tomadas com segurança por muitos anos sem que seja preciso interromper o seu uso periodicamente.

 

MITO: A pílula pode tornar a mulher estéril.

VERDADE: As pílulas anticoncepcionais não afetam a fertilidade da mulher.  A mulher que toma pílula, (mesmo que seja durante muitos anos), tem a mesma chance de engravidar que tinha antes de tomar a pílula.

 

MITO: Quando a mulher usa a pílula por muito tempo, ela terá proteção contra gravidez quando parar de tomá-la.

VERDADE: Uma mulher está protegida contra a gravidez somente no ciclo em que está usando as pílulas corretamente. Se deixar de tomar a pílula, ela imediatamente está em risco de engravidar.

 

MITO: O DIU torna a mulher estéril.

VERDADE: Uma mulher pode engravidar logo após a retirada do DIU da mesma forma que uma mulher que nunca utilizou um DIU. Estudos seguros não constataram aumento do risco de infertilidade entre mulheres que utilizavam DIU, inclusive entre mulheres jovens e mulheres sem filhos.

 

MITO: O uso da camisinha oferece alguma proteção contra as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) apenas algumas vezes.

VERDADE: A camisinha é um método altamente eficaz para prevenir as IST/HIV-aids. Para obter essa alta proteção deve-se utilizar a camisinha em todas as relações sexuais. Além disso, a camisinha é o único método que oferece dupla proteção, protege das IST/HIV-aids e da gravidez.

 

MITO: A camisinha pode fazer com que um homem não tenha mais ereção (torne-se impotente).

VERDADE:A camisinha não causa impotência. A impotência tem muitas causas, sendo algumas físicas e outras psíquicas, por isso é importante buscar orientação médica. Vale a pena lembrar que fazer seu uso correto em todas as relações sexuais (anal, vaginal e oral), antes de qualquer contato entre pênis, vagina e ânus, previne as IST e o HIV-aids.

 

MITO: A anticoncepção de emergência é ilegal no país, porque ela é abortiva. 

VERDADE:O uso da anticoncepção de emergência está aprovado no Brasil, as pílulas de emergência estão disponíveis nas unidades de saúde no SUS. Elas impedem ou retardam a liberação do óvulo pelo ovário. Portanto, a pílula de emergência não é abortiva, porque ela não tem efeito caso a mulher já esteja grávida.

 

MITO: Usar uma camisinha masculina e uma feminina ao mesmo tempo aumenta sua efetividade e a proteção contra uma gravidez e as IST/HIV-aids. 

VERDADE: A camisinha masculina e a feminina não devem ser usadas juntas. Isto poderia provocar fricção fazendo com que os preservativos escorreguem ou se rompam, diminuindo sua efetividade e proteção.

 

Última atualização: março 2021


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2017.

Desenvolvido pela S3Web