Vivendo a Adolescência

Injeções anticoncepcionais

Injeções anticoncepcionais

O que são?

As injeções são métodos de alta eficácia que contêm hormônios parecidos com os que a mulher tem em seu corpo. Existem dois tipos de injeções:

  • Injeções combinadas:Contêm dois hormônios, estrogênio e progestogênio, iguais aos hormônios produzidos pela mulher em seu ciclo menstrual. Se toma uma vez por mês.
  • Injeções só de progestogênio:Contêm só um hormônio, com efeitos muito parecidos à progesterona, um dos hormônios produzidos no ovário da mulher durante seu ciclo menstrual.Se toma a cada 3 meses.

Como se usam?

Por se tratar de um método hormonal, para iniciar o seu uso é muito importante que a mulher procure um serviço de saúde para receber uma orientação correta sobre a sua forma de uso e verificar os critérios médicos de elegibilidade para definir se ela pode, ou não, usar esse método anticoncepcional.

  • Injeções combinadas:A primeira injeção deve ser aplicada de preferência nos primeiros cinco dias desde o início da menstruação ou em qualquer momento do ciclo menstrual se a mulher tem uma certeza razoável de não estar grávida. A injeção deve ser administrada por via intramuscular profunda, no braço ou no glúteo e não se deve massagear o local da injeção depois da aplicação. As injeções subsequentes devem ser administradas a cada trinta dias com tolerância de ± sete dias.
  • Injeções só de progestogênio: A primeira injeção deve ser aplicada de preferência nos primeiros cinco dias desde o início da menstruação ou em qualquer momento do ciclo menstrual se a mulher tem uma certeza razoável de não estar grávida. As injeções subsequentes devem ser aplicadas a cada três meses, mas pode ser aplicada com um atraso de até trinta dias, caso ocorra algum problema, sem interferir em sua eficácia.

Como funcionam?

A principal ação dos dois tipos de injeção é impedir que ocorra a ovulação, além de provocar alterações no muco cervical e no endométrio.

Qual é a eficácia?

Os dois tipos de injeções são muito eficazes. 

Em qualquer um dos dois tipos de injeções, ataxa de gravidez é de 0,2 por 100 mulheres no primeiro ano de uso. (2 gravidezes por cada 1.000 usuárias no primeiro ano). Essa taxa de gravidez é segundo os resultados de estudos clínicos bem controlados, em que a mulher usa o método corretamente sem atrasar a aplicação das injeções além do prazo permitido. Em uso comum, a taxa de gravidez para os dois tipos de métodos é de 3 a 4 gravidezes por cada 100 mulheres no primeiro ano de uso.

Quais são os efeitos colaterais?

Os efeitos colaterais das injeções que se aplicam mensalmente ou trimestralmente são pouco frequentes e não sãosinais de alguma doença. Em geral, o padrão de sangramento é mais regular e com menos alterações com os injetáveis mensais. 

Algumas usuárias podem ter:

  • Mudança no padrão de sangramento menstrual (sangramento mais escasso e durante menos dias).
  • Falta de menstruação (principalmente com a injeção trimestral).
  • Ganho de peso (principalmente com a injeção trimestral).
  • Dor de cabeça.
  • Tonturas.
  • Sensibilidade mamária.

Quais são os benefícios para a saúde?

Injeção mensal

Os estudos de longo prazo são escassos, mas alguns pesquisadores pensam que os benefícios são semelhantes aos das pílulas combinadas.

Além de proteger contra a gravidez, reduzem o risco para:

  • Câncer de endométrio.
  • Câncer de ovário.
  • Doença inflamatória pélvica.
  • Podem proteger contra cistos de ovário e anemia por deficiência de ferro.
  • Reduzem a frequência e intensidade das cólicas menstruais e da dor no período da ovulação.
  • Reduzem o aumento de pelos no rosto e no corpo.

Injeção trimestral

Além de proteger contra a gravidez, ajudam a proteger contra:

  • Câncer de endométrio.
  • Miomas uterinos.
  • Pode ajudar a proteger contra a doença inflamatória pélvica sintomática.
  • Protege contra anemia por deficiência de ferro.
  • Reduz a frequência de crises hemolíticas em mulheres com anemia falciforme.
  • Reduz sintomas de endometriose (dor pélvica e sangramento irregular).

Última atualização: março 2021


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2017.

Desenvolvido pela S3Web