Vivendo a Adolescência

Empoderamento das Mulheres

A palavra empoderamento é uma tradução do termo em inglês “empowerment”. Na década de 70 começou a ser usado pelos grupos de mulheres e significa o processo pelo qual as mulheres ganham poder interior para expressar e defender seus direitos, ampliar sua autoconfiança, fortalecer sua própria identidade, melhorar sua autoestima e, sobretudo, exercer controle sobre suas relações pessoais e sociais.

Para as feministas o empoderamento compreende a alteração radical dos processos e estruturas que reduzem a posição de subordinada das mulheres como gênero. As mulheres tornam-se empoderadas através da tomada de decisões coletivas e de mudanças individuais. (Ana Alice Costa - Gênero, poder e empoderamento das mulheres).

Nas últimas décadas, constata-se que a exclusão social e a pobreza absoluta têm aumentado no Brasil e na América Latina e o predomínio de mulheres entre os pobres é consequência do desigual acesso das mulheres às oportunidades econômicas e sociais. O ano de 2015 marca 20 anos da IV Conferência Mundial das Mulheres realizada em Pequim e renova o compromisso para o empoderamento das mulheres. Também entre os “Objetivos do Milênio da ONU”, consta o objetivo Nº 3 que é: “promover a igualdade entre os gêneros e dar mais poder às mulheres”. Da mesma forma, o Fórum Econômico Mundial, comprometido com a melhoria das condições do mundo, elaborou o documento “Empoderamento das Mulheres - Avaliação das Disparidades Globais de Gênero”, definindo cinco dimensões importantes para o empoderamento e oportunidade das mulheres: participação econômica; oportunidade econômica; empoderamento político; conquistas educacionais; saúde e bem-estar.

A Reprolatina (instituição responsável pelo portal VA), enfatiza a importância do EMPODERAMENTO das MULHERES, considerando a situação atual de desigualdade, injustiça e desrespeito às mulheres em todas as áreas da vida humana, como: diferenças salariais (as mulheres, ainda que na mesma função, recebem sempre menos que os homens); divisão do trabalho doméstico (são responsáveis por quase todo o trabalho doméstico e cuidado dos filhos); participação e exercício da cidadania (as mulheres, praticamente, não participam das decisões políticas da cidade, do estado, do país, quase não ocupam cargos de gestão); e, em relação à sexualidade, sofrem as consequências da cultura de gênero (machismo, conservadorismo e patriarcalismo) que prejudicam sua saúde e saúde sexual e reprodutiva, seja pela vulnerabilidade às DST/HIV-Aids, gravidezes não planejadas e diferentes tipos de violência, como a sexual, física e psicológica, que ocorre muitas vezes dentro de suas próprias casas.

Mas porque empoderar as mulheres?

Porque as mulheres merecem respeito e os mesmos direitos e oportunidades que os homens. A igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres resultarão em uma sociedade mais justa, igualitária, saudável e com um desenvolvimento social que beneficiará a todas as pessoas.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), acredita que a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres, além de ser um Direito Humano, é um caminho para o alcance dos objetivos do Milênio e para o Desenvolvimento sustentável. Conforme o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) “quando as mulheres têm acesso à educação e são saudáveis, todos se beneficiam: suas famílias, suas comunidades e seus países”. Ou seja, a participação das mulheres em igualdade de condições com os homens é fundamental para o desenvolvimento social e econômico sustentável de uma família, comunidade e país.

Mulheres empoderadas, além de transformarem suas próprias vidas, colaboram para o empoderamento e desenvolvimento de uma sociedade. No entanto, ainda segundo o UNFPA, “a discriminação e a violência de gênero (machismo) ainda estão generalizadas e diminuem as oportunidades de que as mulheres dispõem, além de negar-lhes a possibilidade de exercer plenamente seus direitos humanos básicos”.

Com essa situação atual de grande vulnerabilidade da mulher, o que podemos fazer para ter uma sociedade mais justa, igualitária e que beneficie a todas as pessoas?

Reconhecer que todas as mulheres têm os mesmos direitos que os homens, incluindo os direitos sexuais e reprodutivos, garantir que possam exercer esses direitos livres de discriminação e facilitar seu empoderamento para que possam ter autonomia sobre suas vidas, tomar suas próprias decisões. Mulheres empoderadas, poderão, além de transformar suas vidas, também contribuir para empoderar suas famílias e comunidades.

A Reprolatina através de seus Projetos e ações facilita o empoderamento das mulheres e adolescentes, atuando na garantia do exercício pleno dos direitos humanos, dos direitos sexuais e reprodutivos, e contribuindo para a diminuição das vulnerabilidades em relação à saúde sexual e reprodutiva, e para o desenvolvimento e mudanças importantes na comunidade.

Fontes:

HERA: Health, Empowerment, Rights & Accountability - Empoderamento das Mulheres. IN:
Direitos sexuais e reprodutivos e saúde das mulheres. Idéias para ação. New York, USA: Hera, s/d.p.1

http://www.pnud.org.br/empoderamentomulheres.aspx

http://www.unfpa.org.br/novo/index.php/igualdade-de-genero


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2013.

Desenvolvido pela S3Web