Vivendo a Adolescência

1ª consulta da menina

Chegou a hora de se consultar!

A adolescência, como todo mundo diz, é uma fase cheia de mudanças e é nessa fase que começamos a prestar mais atenção no nosso corpo. Começamos a cuidar mais do nosso corpo sem precisar de outras pessoas para dizer o que fazer, mas começamos também a ter muitas dúvidas sobre esse corpo novo, diferente e sobre como cuidar dele.

Uma das principais angústias de nós, adolescentes, é como e quando acontece a 1ª consulta ginecológica. Pensando nisso resolvemos pesquisar o que acontece em uma consulta com o/a ginecologista, mas não pense que são só nós adolescentes que ficamos preocupadas com isso, muitas mulheres adultas também ficam ansiosas, com medo e constrangidas.
 

Quando devo procurar um/a ginecologista?

Toda mulher que tem ou já teve relações sexuais, adolescente ou não, deve fazer uma avaliação ginecológica pelo menos uma vez ao ano. Além dessa avaliação anual, sempre que surgir algum problema, ou dúvida, podemos fazer uma consulta com um(a) ginecologista, independentemente de ter iniciado ou não a vida sexual.

Estes são alguns dos sintomas importantes para procurar um ginecologista:

  • Dor no baixo ventre (Parte baixa da barriga)

  • Corrimento vaginal, coceira na vagina, cheiro ruim.

  • Dor nas mamas, secreção pelos mamilos, mudanças no tamanho das mamas.

  • Cólica menstrual forte ou menstruação irregular

  • Sangue na urina, dor para urinar

  • Gravidez

  • Risco ou exposição a alguma doença sexualmente transmissível.
     


Se você quer fazer uma consulta ginecológica, escolher o(a) médico(a) certo(a) é muito importante. Tem que ser um(a) profissional que você se sinta segura e confortável para fazer perguntas e discutir questões pessoais.
 

Como escolher a(o) médica(o)?

Muitas vezes, conhecemos o(a) ginecologista da mãe ou de algum parente, ou até mesmo a escola pode ajudar na escolha do(a) médico(a); outras vezes, uma visita ao centro de saúde pode ajudar a decidir.

Independentemente de quem seja o(a) profissional, é muito importante que ele(a) entenda as características e necessidades das adolescentes.



 

Depois de escolher o(a) profissional de saúde marcamos o dia da consulta.


Marcando o dia da consulta

Uma "dica" é marcar a consulta fora do período menstrual e não fazer ducha vaginal nem usar cremes vaginais 72 horas antes do exame porque, se for o caso, será colhido material para o exame de citologia oncótica (exame de prevenção de câncer de colo do útero). Para o dia da consulta é legal:

  •  Fazer uma lista de perguntas, para não esquecer nada no dia:

    • Pode ser sobre problemas de saúde ou não; é uma oportunidade para tirar dúvidas sobre o corpo, sexualidade, anticoncepção ou doenças sexualmente transmissíveis, por exemplo.

    • É importante lembrar que o(a) profissional de saúde não vai julgar ou aconselhar, mas sim ouvir as dúvidas, orientar e atender as pessoas em suas necessidades de saúde. É você quem decide o que fazer com a ajuda do médico(a).

  • Conversar com os pais ou familiares sobre sua história de saúde:

    • Se teve algum problema de saúde durante a infância ou não, cirurgias, alergias, se o esquema de vacinação está em dia.

    • Perguntar também sobre os problemas de saúde na família. Aliás, é uma boa oportunidade para a adolescente conhecer um pouco mais sobre sua família.

  • Tentar lembrar e anotar a idade da primeira menstruação (se já teve a primeira menstruação), como são os ciclos menstruais e a data da última menstruação. Essas são questões que certamente o(a) profissional deverá perguntar.
     

Conversando com a(o) profissional de saúde

Todas as vezes que fazemos uma consulta médica, o(a) médico(a) faz várias perguntas sobre nossa saúde e na consulta ginecológica não é diferente. Na consulta ginecológica, as questões de sexualidade e corpo naturalmente são discutidas com mais profundidade. É importante saber que as perguntas mais íntimas que poderão fazer com que a adolescente sinta-se desconfortável serão feitas não por curiosidade, mas sim para ajudar as adolescentes a cuidar de sua saúde. Assim, é fundamental que as perguntas feitas pelo(a) profissional de saúde sejam respondidas honestamente e com tranqüilidade.

Se for o caso, a adolescente pode e deve deixar claro para o(a) profissional que é a sua primeira consulta ginecológica e aproveitar o momento para informar-se sobre o exame ginecológico: o que é, como é feito, para que serve.

Este é um momento muito importante para discutir dúvidas, ansiedades e medos; e também, para receber as orientações sobre os motivos da consulta.
 

O exame ginecológico

Não é em todas as consultas ginecológicas que o(a) profissional de saúde faz o exame ginecológico; às vezes você quer simplesmente tirar uma dúvida. No caso de fazer o exame uma dica muito importante: o exame pélvico sempre deve ser executado pelo(a) profissional na presença de uma outra pessoa, geralmente um(a) profissional de enfermagem. A mulher/adolescente não precisa estar sozinha com o(a) médico(a) neste momento.

Para fazer o exame, o(a) profissional vai pedir que você troque a sua roupa por um avental em um lugar reservado. Depois de trocar de roupa, o(a) profissional de saúde deverá fazer um exame geral, para avaliar a sua saúde: medir a pressão, o pulso, a temperatura, avaliar o peso, a altura, examinar os pulmões, o coração e o abdômen. O exame ginecológico pode ser um pouquinho diferente de pessoa para pessoa, mas em geral divide-se em: exame das mamas e exame pélvico.
 

Exame das mamas

O exame das mamas é muito importante para a prevenção e/ou diagnóstico das doenças mamárias. É muito parecido com o auto-exame das mamas, aliás, este é um ótimo momento para você aprender a fazer o auto-exame das mamas.

Primeiro sentada de frente para o(a) profissional, e depois deitada sobre a mesa de exame, ele(a) irá movimentar os dedos em torno de toda a mama pressionando-a levemente para tentar identificar caroços ou qualquer outra alteração. Depois disso, deverá apertar levemente o mamilo para ver se há secreções, palpar as axilas e ver se há alterações na pele da mama e diferenças de tamanho entre elas. O exame é feito nas duas mamas, demora poucos minutos e não dói nada.
 

O exame pélvico

Este é o momento da consulta no qual muitas mulheres e adolescentes sentem-se desconfortáveis, mas não precisa ser assim, pois serão três procedimentos/ etapas:

  1. O exame dos genitais externos
  2. O exame especular
  3. O toque vaginal

Para fazer este exame, o(a) profissional pede que você fique deitada, afaste os joelhos e coloque os pés (ou as pernas) nos estribos, que são dois suportes, um em cada lado da mesa. O(A) médico(a) ou auxiliar deverá cobrir o seu corpo com um lençol para que se sinta mais relaxada e menos exposta.
 

O exame dos genitais externos

Durante esse exame você pode aproveitar para aprender um pouco mais sobre os seus órgãos genitais externos e tirar suas dúvidas. Com a mão enluvada, o(a) profissional irá examinar a vulva com cuidado, procurando por sinais como vermelhidão, irritação, feridas, caroços, verrugas ou outras anormalidades. Esta parte do exame é rápida e não dói.
 

O exame especular

O exame especular não é necessariamente realizado na primeira consulta; depende da queixa e se a adolescente já teve ou não relações sexuais. O exame consiste na introdução, dentro da vagina, de um instrumento chamado espéculo, conhecido popularmente como “bico-de-pato”. O espéculo pode ser de metal ou de plástico rígido, sendo que os espéculos de plástico são descartáveis, ou seja, não podem ser reaproveitados. A colocação do espéculo geralmente é indolor, mas é importante ficar bem relaxada para que o incômodo seja o mínimo possível. O exame especular permite a visualização da vagina para a observação de secreções ou lesões em suas paredes. Também permite a visualização do colo do útero e a coleta de material para a prevenção do câncer de colo uterino, se for o caso.
 

O toque vaginal

O toque vaginal é realizado em seguida mas, assim como o exame especular, não é necessariamente realizado na primeira consulta. Com uma mão enluvada e lubrificada, o(a) profissional de saúde introduz um ou dois dedos dentro da vagina; com a outra mão, pressiona suavemente a barriga para sentir, através da palpação, os órgãos genitais internos: útero, ovários e trompas. Normalmente este exame é indolor; porém, se a mulher/adolescente sentir dor, ela deve informar imediatamente o examinador.

 

O toque retal

O toque retal não é feito na rotina do exame ginecológico, mas pode ser necessário e importante para algumas situações muito específicas. Com a mão enluvada e lubrificada, o(a) profissional introduz um dedo através do reto, para conseguir desta maneira palpar a região entre o reto e a vagina.

Bem, estas são as etapas do exame ginecológico. Não é tão difícil como pode parecer para as adolescentes que ainda não o fizeram, mas é um exame muito importante para a saúde de todas as mulheres e que irá acompanhá-las por toda a vida.

 

Cuidar da sua saúde é um direito seu, exerça-o!


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2013.

Desenvolvido pela S3Web