Vivendo a Adolescência

Anticoncepção oral de emergência

Anticoncepção oral de emergência

O que é?

A anticoncepção de emergência ou pílula anticoncepcional de emergência (PAE) é o único método anticoncepcional que pode ser usado pelas mulheres para prevenir uma gravidez depois de uma relação sexual vaginal desprotegida, ou seja, nos casos de:

  • Falha presumida de um método anticoncepcional, como esquecer de tomar a pílula, rompimento ou deslizamento da camisinha.

  • Violência sexual (Estupro).

Como funciona?

A pílula de emergência evita a gravidez impedindo ou retardando a ovulação impedindo, portanto, o encontro do óvulo com o espermatozoide, evitando assim a fecundação ou fertilização do óvulo.

Não tem qualquer efeito se é usada depois que aconteceu a ovulação, nem depois da fertilização. Portanto, não provoca aborto.

Quando usar?

Deve ser usada somente em situações de emergência, quando se tem uma relação sexual vaginal desprotegida. Isto inclui se a mulher esqueceu de tomar a pílula, houve ruptura ou deslizamento da camisinha, houve uma relação sexual que não se planejou e não se usou camisinha nem outro método anticoncepcional e em caso de violência sexual (estupro).

Como se usa?

Existem dois tipos:

1) Pílula que contém Levonorgestrel. Existe produtos específicos com caixas com 1 (um) comprimido – 1500 mcg de levonorgestrel, e com 2 (dois) comprimidos com 750 mcg de levonorgestrel cada. Deve-se tomar a dose completa um comprimido de 1,5 mcg em dose única (ou duas pílulas juntas no caso de produtos com pílulas de 0,75 mg), assim que possível, lembrando que quanto antes maior a eficácia.

2) Pílulas contraceptivas combinadas (Método de Yuzpe).  São pílulas que contem 30 mcg de etinilestradiol e 150 mcg de levonorgestrel. ( são as pílulas combinadas anticoncepcionais que em dose especial podem ser usadas de emrgencia)  Devem-se tomar 4 pílulas o mais logo depois da relação desprotegida e mais 4 pílulas, 12 horas depois da primeira dose.  

A anticoncepção de emergência deve ser tomada até 5 dias (120 horas) após ter ocorrido uma relação sexual vaginal desprotegida. Se é tomada depois não terá efeito.

Qual é a eficácia?

A eficácia se mede pela porcentagem de gravidezes que ocorrem depois de uma relação única em que a mulher toma anticoncepção de emergência.

Com a pílula de levonorgestrel, uma de cada 100 mulheres poderá ficar grávida.

Com pílulas combinadas (Método de Yuzpe), duas de cada 100 mulheres poderão ficar grávidas.

Se não usar nada, 8 de cada 100 mulheres poderão ficar grávidas.

Lembre-se que a probabilidade (chance) de ficar grávida é menor o quanto antes, depois da relação sexual desprotegida, a anticoncepção de emergência for tamada.

Última atualização: março 2021


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2017.

Desenvolvido pela S3Web