Vivendo a Adolescência

Educação Integral em Sexualidade

07 componentes da EIS

 07 componentes essenciais da Educação Integral em Sexualidade

 

1.  Gênero. Clareza na definição das diferenças entre sexo e gênero.  Discutir papéis de gênero e atributos de sexo e de gênero; entender as percepções de masculinidade e feminilidade na família e no ciclo de vida; mudanças de valores e normas da sociedade, manifestações e consequências da desigualdade de gênero; estereótipos e iniquidades.

2. Saúde sexual e reprodutiva (SSR)e prevenção de DST, incluindo o HIV. Sexualidade no ciclo de vida; (puberdade, menopausa); estigma; problemas sexuais; anatomia; processo reprodutivo; como usar contraceptivos (incluindo dupla proteção e a anticoncepção de emergência - PAE); aborto inseguro; aborto legal; orientação e testagem para HIV; prevenção da transmissão do HIV por uso de drogas injetáveis; virgindade; abstinência, fidelidade; resposta sexual; expectativas sociais; autoestima e empoderamento, respeito ao corpo; mitos e estereótipos.

3. Direitos sexuais e cidadania. Conhecimento dos acordos internacionais e das políticas nacionais sobre direitos humanos e direitos sexuais e reprodutivos (DSDR); enfoque da SSR baseado em direitos; barreiras éticas e culturais que interferem com o exercício dos DSDR; conhecer os DSDR; entender que a sexualidade e a cultura são diferentes e dinâmicas; saber dos serviços disponíveis e como ter acesso a eles; participação; práticas e normas; identidades sexuais (diversidade); advocacy; escolha livre; proteção; capacidade de negociação; direito a ter sexo quando quiser e estiver preparado/a; direito a explorar e expressar a própria sexualidade de maneira livre, saudável e prazerosa.

4. Prazer.Aceitar a sexualidade de adolescentes e jovens; entender que o sexo deve ser prazeroso e nunca forçado; sexo é mais que relação sexual; sexualidade é uma parte da vida de todos; conhecer a biologia e os aspectos emocionais da resposta sexual humana; prazer; gênero; bem-estar sexual; sexo seguro; masturbação; amor; luxúria; relacionamentos; comunicação interpessoal; diversidade de experiências sexuais; a primeira experiência sexual; consentimento; álcool e drogas- implicações do seu uso; estigma associado ao prazer.

5. Violência. Explorar os vários tipos de violência contra homens e mulheres; violência sexual baseada em gênero; sexo não consentido e entendimento do que não é aceitável; direitos e leis; opções de apoio para buscar ajuda; normas da comunidade; poder de gênero; mitos; prevenção; planos de segurança pessoal; técnicas de defesa pessoal; entender dinâmicas de relações entre abusadores e vítimas; mecanismos de referência/denúncia e acompanhamento; evitar a ação de culpar a vítima; homens e meninos como perpetradores e potenciais aliados na prevenção da violência.

6. Diversidade.Reconhecer e entender a ampla gama de diversidades em nossas vidas (fé, cultura, etnia, nível socioeconômico) descapacidades; status sorológico HIV; orientação sexual; ter visão positiva da diversidade; reconhecer e rejeitar a discriminação; reconhecer o efeito danoso da discriminação; aprender a lutar contra a discriminação; acreditar na igualdade; apoiar o desenvolvimento da juventude, ir além da tolerância (ver Escada de Tolerância de Olsson).  Aceitar, respeitar, entender e celebrar a diversidade, pois são os maiores antídotos da aversão, homofobia, discriminação e ódio ou violência.

7. Relacionamentos (relações).  Diferentes tipos de relacionamentos (com família, amizades; relacionamentos sexuais; relacionamentos românticos); aceitar que sempre estão mudando; emoções; intimidade (emocional e física); direitos e responsabilidades; reconhecer as relações saudáveis e não saudáveis; comunicação; honestidade nos relacionamentos; pressão do grupo; norma social.

 

Fonte:Marco conceitual da IPPF, desenvolvido em 2006 e atualizado em 2010.


Compartilhe


Entre em Contato

E-mail: contato@adolescencia.org.br

Siga nas Redes Sociais

As informações oferecidas nesta página têm caráter educativo e informativo, sendo assim, não dispensa, em hipótese alguma, uma consulta com um/a profissional de saúde.
Qualquer dúvida, você deve sempre procurar a ajuda de um/a profissional de saúde. É proibida a reprodução do conteúdo total ou parcial dessa página em qualquer meio de comunicação,
eletrônico ou impresso, sem autorização por escrito da Reprolatina. Vivendo a Adolescência®© - Todos os direitos reservados 2000 – 2013.

Desenvolvido pela S3Web